domingo, 12 de agosto de 2012

A relação entre a vinda da família real e o futebol brasileiro.

Apesar de não ser um assunto "botonístico", segue um pequeno ensaio que fiz aliando a História do Brasil e o futebol.

Há alguns dias, assistindo a um programa de televisão sobre a vinda da família real portuguesa para o Brasil, em 1808, em interessante entrevista dada pelo historiador José Murilo de Carvalho, o mesmo afirmou que, não fosse a vinda da família real e o reinado de D. João VI, o Brasil não teria permanecido com a unidade geográfica que hoje possui. Isto teria sido uma das principais contribuições que hoje devemos ao regime monárquico.

Embasado nas revoltas ocorridas durante o século XIX, o pesquisador elaborou uma espécie de mapa do que seria o conjunto de nações oriundas do nosso território, caso não fosse mantida a nossa unidade territorial. Teríamos, para José Murilo de Carvalho, a formação de 6 diferentes nações, a saber: Grão-Pará, Confederação do Equador, República da Bahia, República do Brasil, República dos Bandeirantes e República dos Pampas. No mapa abaixo estão representadas a área de cada uma dessas supostas "nações".


Quando ouvi aquilo pensei: imagine as seleções que teríamos com os melhores jogadores de todos os tempos de cada uma dessas diferentes "nações"... Com base nisso, resolvi pesquisar e elaborar as seleções de cada uma desses países imaginários:

Seleção dos Pampas: Taffarel, Paulinho, Calvet, Mauro Galvão e Oreco; Falcão, Carpeggiani e Ronaldinho Gaúcho; Renato Gaúcho, Claudiomiro e Tesourinha. Técnico: Luiz Felipe Scolari
Alguns reservas: Victor, Juvenal, Branco, Mengálvio, Alex e Valdo.

Seleção dos Bandeirantes: Gilmar, Djalma Santos, Bellini, De Sordi e Roberto Carlos; Zito, Rivellino e Pelé; Julinho Botelho, Friedenreich e Pepe. Técnico: Vicente Feola.
Alguns reservas: Leão, Cafu, Oscar, Raí, Müller, Coutinho e Neymar.

Seleção do Brasil: Castilho, Carlos Alberto, Domingos da Guia, Brito e Nilton Santos; Zizinho, Gérson e Zico; Garrincha, Tostão e Romário. Técnico: Telê Santana
Alguns reservas: Júlio César, Jorginho, Luizinho, Jair da Rosa Pinto, Heleno, Jairzinho e Ronaldo.

Seleção da Bahia: Dida, Daniel Alves, Aldair, Luís Pereira e Jorge Wagner; Clodoaldo, Bobô e Bebeto; Dida, Charles e Zagallo. Técnico: Cristóvão Borges.
Alguns reservas: Ronaldo, Toninho, Júnior Baiano, Roberto Rebouças, Edílson, Liédson e Nunes.

Seleção da Confederação do Equador: Manga, Mazinho, Orlando, Ricardo Rocha e Marinho Chagas; Júnior, Iarley e Juninho Pernambucano; Vavá, Ademir Menezes e Rivaldo. Técnico: Givanildo Oliveira
Alguns reservas: Bosco, Zé do Carmo, Rildo, Lula, Hernanes, Almir e Alberi

Seleção do Grão-Pará: Clemer, Maranhão, Geovani, Dutra e Pará; Fausto, Sócrates e PH Ganso; Kléber Pereira, Quarentinha e Canhoteiro.

Qual dessas seria a melhor para você, leitor?

Observações: as equipes foram armadas no esquema 4-3-3, para facilitar a visualização.

Foi utilizado como critério de escolha o local de nascimento dos jogadores, com exceção de Pelé, que nasceu em Três Corações - MG (o que corresponde no mapa à República do Brasil), mas ainda garoto mudou-se com a família para Bauru - SP e fez sucesso jogando no Santos. Por conta disso foi incluído na seleção da República dos Bandeirantes.

Peço desde já desculpas por quaisquer injustiças feitas neste ensaio. Espero a opinião de todos, que podem mandar suas seleções e opiniões sobre as escolhas que fiz.

10 comentários:

  1. Túlio Maravilha, nós gostamos de você!!!
    Túlio Maravilha, faz mais um pra gente ver!!!!

    ResponderExcluir
  2. Valeu pela visita, amigo botafoguense!!

    ResponderExcluir
  3. MAPA TA ERRADO POR QUE O OESTE DA BA SERIA PARTE DA CONFEDERAÇÃO..E A BA TENTARIA RECUPERAR O ES QUE ERA UMA COMARCA SUA..E NA SELEÇÃO DA CONFEDERAÇÃO FALTOU JUNIOR DO FLAMENGO; A CONFEDERAÇÃO PROPORCIONALMENTE SERIA A MAIOR EM EXTENSÃO LATITUDINAL

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do mapa, valeu!
    Mas será que poderia haver essa separação nos dias de hoje, com o Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1808 e o primeiro desembarque na bahia nem foi o ponto chave maybe..alem disso kual a vantagem de um falso uno?..sem o merdil o ne teria permanecido a mais rica e populosa..o sul ainda seria mal habitado como no primeiro censo e portanto atrasado..o norte teria ampliado seu ciclo da borracha sem.
      Os federastas olhando so pra vdf deixando o ciclo migrar pra divisa indico-pacifico..o cerrado ainda estaria de pé e talvez com nacoes nativas ainda..a vdf teria menos favelas/crimes maybe..o brasil nao foi vantagem pro comum so pra meia duzia de banqueiro ke todo ano leva kuase um tri..e depois o celso deucher diz ke isso tudo vai pros condados mais pobres da estepe..se fosse seria o local mais rico e nao o mais pobre a la deep amazonia ocidental

      Excluir
  5. Valeu pelos comentários, amigos!
    Quanto ao Júnior, ele está sim na Seleção da Confederação, mas coloquei ele no meio de campo...
    Sobre o mapa, tomei por base artigo do historiador José Murilo de Carvalho. Contudo, seria possível sim que o ES integrasse o conceito de "Bahia". Certo, apenas, é que o artigo acima brinca em território, literalmente falando, meramente hipotético...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontecimentos anteriores e posteriores a 1808 tipo 1823, terceiro quarto do xviii e cia explicam ate mais ke 1808..mais cruciais..o evento 1808 nao e uma ilha..ha anacronismo..vc ampliou a ba pra oeste e norte mas nao pro sul..go e df ainda seriam isolados de mg-rj ke seria o eixo do ke sobrou..se o padrao imigratorio se alteraria a demografia ibidem e as selecoes tambem..o sul teria menos capital humano..o scolari possivelmente nao existiria ou seria argentino ou os scolari teriam ido pra zona de economia maior da america portuguesa ke era o ne..muitas coisas nao foram calculadas..num cenario destes teria ocorrido o ke vimos no nne dos.
      Eua..a imigrcao camponesa se convertendo em urbana ainda precocemente (veja que a imigracao.
      Do xix no sul se preservou melhor ke a suburbana em sp por exemplo)..a distancia entre os paises seria ainda maior pois uma zona ke se mantem seculos a frente permanecendo no topo manteria o resto semi vazio ao inves de ser esvaziada pra sustentar a bolha alheia

      Excluir
  6. Alagoas e pernambuco e nao bahia..logo zagallo e um confederado emboaba..a migracao de minas pra sp nao existiria pois ate 1830 a maior economia externa era o ne..sp sem ser vizinho da sede ke sugava os impostos da zona mais rica nao teria ido tao longe..ate o sul nao teria tanta imigracao pois os imigrantes iam preferir a maior economia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alagoas e pernambuco e nao bahia..logo zagallo e um confederado emboaba..a migracao de minas pra sp nao existiria pois ate 1830 a maior economia externa era o ne..sp sem ser vizinho da sede ke sugava os impostos da zona mais rica nao teria ido tao longe..ate o sul nao teria tanta imigracao pois os imigrantes iam preferir a maior economia

      A política de colonização europeia no Sul visava o povoamento e aconteceu em toda a América Platense (que tem muito em comum com a região Sul). Possivelmente, a colonização europeia no Sul independente seria tão forte como foi no Sul Brasileiro. O desenvolvimento das República da Bahia e Confederação do Equador dependeria de como esses estados combateriam a monocultura que tanto empobreceu o solo e o povo local, e também de políticas para trazer mão de obra escolarizada da Europa e Japão.

      Na verdade, "se" não ganha jogo, mas é interessante imaginar como as coisas poderiam ter acontecido sem a Família Real.

      E essas seleções iriam dar trabalho nas Copas, hein?!

      Excluir